SOCIEDADE BRASILEIRA PARA
O ESTUDO DE QUIRÓPTEROS

 

Brazilian Bat Research Society

 

PANTANAL

Pantanal - Nhecolândia, Corumbá - MS. Foto: Olivier Grunewald

Conheça Nossa Equipe

Alan Ericksson

Equipe

Alêny L. Francisco

Equipe

Coordenador

Carolina F. Santos

Equipe

Maurício Silveira

Equipe

Sobre o Pantanal

A planície inundável do Pantanal é uma formação relativamente recente, no centro da América do Sul, que abriga muitas espécies originárias de outras partes do continente. Dentre os mamíferos do Pantanal, Chiroptera é a ordem mais rica, com 65 espécies registradas pelo meno uma vez. Artibeus planirostris (Phyllostomidae), Noctilio albiventris (Noctilionidae), Molossus molossus (Molossidae) e Myotis nigricans (Vespertilionidae) estão entre as espécies mais comuns e amplamente distribuídas na planície. Por outro lado, espécies incomuns tem sido registradas em regiões adjacentes às suas áreas de distribuição geográfica fora do Pantanal. Comparativamente a outras regiões, o Pantanal apresenta baixa diversidade e grande abundância sazonal de itens consumidos por filostomídeos, fatores que contribuem para o aumento da sobreposição alimentar entre esses morcegos. Em contraste aos filostomídeos, principalmente dependentes de manchas florestais, morcegos de outras famílias são predominantemente insetívoros aéreos associados a áreas abertas. A ausência de espécies endêmicas e a ocorrência de espécies de origens geográficas diferentes, de domínios adjacentes, indicam que a planície do Pantanal representa um ecótono na América do Sul.

Projetos de Pesquisa

Estudo dos efeitos da perda de habitat e mudanças de uso do solo sobre a fauna de morcegos 

Referências

Alho CJR; Fischer E; Oliveira-Pissini LF; Santos CF. 2011. Bat species richness in the Pantanal floodplain and its surrounding uplands. Brazilian Journal of Biology 71:311-320. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-69842011000200010

Munin RL, Fischer E, Gonçalves F. 2012. Food habits and dietary overlap in a phyllostomid bat assemblage in the Pantanal of Brazil. Acta Chiropterologica 14:195-204. https://doi.org/10.3161/150811012X654871

Fischer E, Santos CF, Carvalho LFAC, Camargo G, Cunha NL, Silveira M, Bordignon MO, Silva CL. 2015. Bat fauna of Mato Grosso do Sul, southwestern Brazil. Biota Neotropica 15:1-17. http://dx.doi.org/10.1590/1676-06032015006614Fischer E, Santos CF, Carvalho LFAC, Camargo G, Cunha NL, Silveira M, Bordignon MO, Silva CL. 2015. Bat fauna of Mato Grosso do Sul, southwestern Brazil. Biota Neotropica 15:1-17. http://dx.doi.org/10.1590/1676-06032015006614

Bordignon MO; Shapiro JT. 2018. Bat diversity in the western Brazilian Pantanal. Mammalia (in press). https://doi.org/10.1515/mammalia-2016-0107

Fischer, E., Silveira, M., Munin, R. L., Camargo, G., Santos, C. F., Ramos Pereira, M. J., Fischer W., Eriksson, A. (2018). Bats in the dry and wet Pantanal. Hystrix, 29.  https://doi.org/10.4404/hystrix-00019-2017.10.4404/hystrix-00019-2017

Silveira M, Tomas WM, Fischer E, Bordignon MO. 2018. Habitat occupancy by Artibeus planirostris bats in the Pantanal wetland, Brazil. Mammalian Biology 91:1-6. https://doi.org/10.1016/j.mambio.2018.03.003

Como citar informações desta página:

Fischer, E. A. 2019. Secretaria Regional do Pantanal. Sociedade Brasileira para o Estudo de Quirópteros - SBEQ. 2019.v2. Disponível em: http://www.sbeq.net/pantanal. Acessado em: