Nossos Objetivos

Este comitê tem, por objetivo geral, a implementação do bom uso dos métodos bioacústicos para o estudo de quirópteros no Brasil. Os membros deste comitê estarão disponíveis para auxiliar os sócios da Sbeq sobre qualquer aspecto relacionado com o tema, seja em relação a equipamentos, projetos e/ou cursos.

Objetivos específicos:

Coordenar a elaboração de protocolos de estudos em bioacústica;

Criar uma biblioteca nacional de vocalizações de morcegos brasileiros; 

Ofertar cursos de introdução à bioacústica, apoiados institucionalmente pela Sbeq;

Criar um credenciamento Sbeq para pessoal capacitado em análise bioacústica de morcegos.

Biblioteca de Sons

A biblioteca de sons da SBEQ tem como objetivo principal suportar o uso de métodos acústicos para o estudo de morcegos no Brasil. Com esta biblioteca pretendemos aumentar a capacidade de coletar, compilar e preservar gravações de morcegos brasileiros, assim como promover o uso dessas gravações para diversos fins tais como pesquisa científica, trabalhos técnicos e educação ambiental. Neste momento, a nossa biblioteca conta com 221 gravações pertencentes a 32 taxa distintos em 4 biomas brasileiros.

 

Embora de livre acesso, a utilização de gravações desta biblioteca para fins de publicação científica e/ou comercial carece de autorização prévia do Comitê de Bioacústica da SBEQ e de cada um dos seus coletores originais. Se desejar contribuir com arquivos para esta biblioteca, por favor contacte-nos através do e-mail acustica.sbeq@gmail.com.

Acesse AQUI o nosso catálogo das gravações com metadados.

 

Todos os arquivos de sons do nosso catálogo estão disponíveis abaixo. Acesse o link SBEQ de cada bioma para ter acesso a pasta e fazer download dos arquivos.

Amazônia
Caatinga
Campos Sulinos
SBEQ

Em Breve

Cerrado
Mata Atlântica
Pantanal
SBEQ

Em Breve

Bibliografias Sugeridas

  1. Identificação Acústica de Morcegos Neotropicais (Comitê de Bioacústica Sbeq, Março 2018);

  2. Who’s calling? Acoustic identification of Brazilian bats (Arias-Aguilar et al., 2018);

  3. Who’s calling? Acoustic identification of Brazilian bats (lIlustrated identification key to the calls of Brazilian Bats) (Arias-Aguilar et al., 2018)

  4. Guia de identificação dos morcegos da Amazônia (com chave de ID acústica) (López-Baucells et al., 2016);

  5. Bats Are Not Birds: A Cautionary Note on Using Echolocation Calls to Identify Bats: A Comment (Barclay, 1999);

  6. Don’t believe the mike: behavioural, directional, and environmental impacts on recorded bat echolocation call measures (Ratcliffe & Jakobsen, 2018); 

  7. Use of ultrasound detectors for bat studies in Europe: experiences from field identification, surveys, and monitoring    (Ahlén & BaagØe, 1999);

  8. Uma nota de precaução sobre a identificação automática de chamados de ecolocalização de morcegos no Brasil  (Hintze et al., 2016);

  9. Guidelines For Consideration Of Bats In Environmental Impact Assessment Of Wind Farms In Brazil: A Collaborative Governance Experience From Rio Grande Do Sul State (Pereira et al., 2017);

  10. Bioacoustics as an Important Complementary Tool in Bat Inventories in the Caatinga Drylands of Brazil (Silva & Bernard, 2017);

  11. Bat Bioacoustics (Fenton et al., 2016);

  12. Ecological and Behavioral Methods for the Study of Bats (Kunz & Parsons, 2009);

Outras referências úteis:

  1. Unravelling the calls of discrete hunters: acoustic structure of echolocation calls of furipterid bats (Chiroptera, Furipteridae) (Falcão et al., 2015);

  2. Patterns in the use of rainforest vertical space by Neotropical aerial insectivorous bats: all the action is up in the canopy (Marques et al., 2015);

  3. Emballonuridae Gervais, 1855 (Chiroptera) of Reserva Biológica de Saltinho (Atlantic Forest), in Brazil, revealed by echolocation (Hintze et al., 2016);

  4. Aerial insectivorous bat activity in relation to moonlight intensity (Appel et al., 2017);

  5. Feeding and social activity of insectivorous bats in a complex landscape: The importance of gallery forests and karst areas (Dias-Silva et al., 2017);

  6. Geographical variation in the high-duty cycle echolocation of the cryptic common mustached bat Pteronotus cf. rubiginosus (Mormoopidae) (López-Baucells et al., 2017);

  7. Molecular, morphological and acoustic identification of Eumops maurus and Eumops hansae (Chiroptera: Molossidae) with new reports from Central Amazonia (López-Baucells et al., 2017).

Como citar informações desta página:

Hintze, F;  Bernard, E.; Aguiar, L.; Pereira, M.J.; Bobrowiec, P. & Falcão, F. 2019. Comitê de Bioacústica. SBEQ 2019.v2.<http://www.sbeq.net/bioacustic>acessado em: