COMITÊ DE CONSERVAÇÃO DE MORCEGOS DO BRASIL
Ludmila M. S. Aguiar
Marlon Zortéa

Espécies de morcegos ameaçadas no Brasil

A lista de espécies ameaçadas de extinção é uma ferramenta de política pública que tem por objetivo promover a conservação de representantes da fauna e flora que estão sob ameaças tão fortes que correm risco de desaparecer. A perda de biodiversidade em todo o mundo e as pressões exercidas pela comunidade científica, ONGs e ambientalistas de uma forma geral, têm estimulado ações de conservação em todos os locais onde morcegos ocorrem e estão ameaçados. As listas de espécies ameaçadas são preparadas seguindo um conjunto de critérios científicos e são discutidas entre vários pesquisadores especialistas. Apenas recentemente o Brasil adotou os critérios da IUCN - União Internacional para Conservação da Natureza para a elaboração de nossa lista oficial.

As listas vermelhas podem ser agrupadas em três categorias: global, nacionais e regionais. A lista global é organizada pelos comitês da IUCN, sendo revisada periodicamente. Embora não tenha efeito legal sobre os países, ela tem o mérito de gerar um conjunto de informações padronizadas que pode ser utilizado pelos países para comparações e avaliações dos seus desempenhos na conservação das espécies.

A lista oficial brasileira é de responsabilidade do Ministério do Meio Ambiente e nosso país já possui um pequeno histórico na elaboração das listas. A primeira delas surgiu 1973 e englobou apenas espécies da fauna. Desde 1989 a lista oficial vem sendo atualizada com a revisão do estado de conservação de algumas espécies e a inclusão de outras que passaram a ser avaliadas. Esse é o caso dos morcegos, que foram incluídos na lista oficial a partir de 1997. Atualmente o Brasil conta com duas listas, sendo uma para a maioria dos animais (Portaria 444/2014) e outra específica para os peixes e invertebrados aquáticos (Portaria 445/2014).

Pesquisadores participantes do Workshop das espécies ameaçadas de extinção do Brasil em Iperó, São Paulo, na Academia do ICMBIO. Vários membros da SBEQ participaram da confecção da Lista que culminou com a última publicação de 2014.
Quanto aos morcegos, a primeira vez que alguma espécie destes mamíferos alados figurou em uma lista oficial de espécies ameaçadas no Brasil foi por meio de uma Portaria específica (Nº 062 de 17/06/1997). Esta lista foi fruto de um workshop realizado na cidade de Santa Teresa no Espírito Santo.
O primeiro Workshop para discussão da lista de espécies de morcegos foi realizado em 1995 no Museu de Biologia Mello Leitão em Santa Teresa no Espírito Santo utilizando o método desenvolvido pelo Prof. Ricardo Machado, então da Fundação Biodiversitas, e Prof. Ludmilla M. S. Aguiar, então na Conservation International. Foto (esquerda) do Jornal A GAZETA (ES) numa matéria a qual cobria o trabalho dos pesquisadores durante o Workshop Conservação dos Morcegos Brasileiros. 
Minas Gerais foi o primeiro estado a elaborar uma lista estadual de espécies ameaçadas e incluir espécies de morcegos apontadas com algum nível de ameaça. A lista de Minas Gerais é de 1995 e foi atualizada em 2008. Atualmente, nove estados da federação apresentam lista de espécies ameaçadas: PA, BA, MG, ES, RJ, SP, PR, SC e RS.
MAPA COM OS ESTADOS BRASILEIROS QUE CONTAM COM LISTAS REGIONAIS DE ESPÉCIES AMEAÇADAS NO BRASIL
TABELA COM AS ESPÉCIES AMEAÇADAS DO BRASIL EM ESCALA NACIONAL (MMA 2014) E REGIONAL (OS ESTADOS)
FOTO DE CINCO DAS SETE ESPÉCIES DE MORCEGOS AMEAÇADAS DE EXTINÇÃO NO BRASIL
Lonchorhina aurita (Foto: Ricardo Carvalho)
Natalus macrourus (Foto: Ricardo Carvalho)
Furipterus horrens (Foto: Ricardo Carvalho)
Lonchophylla dekeyseri (Foto: Fagner C. D'arc)
Xeronycteris vieirai (Foto: Patrício Rocha)
Como citar informações desta página: Aguiar, L.M.S & Zortéa, M. 2018. Comitê de Conservação de Morcegos do Brasil. SBEQ 2018.v1.<http://www.sbeq.net/conservar>acessado em: